Mais de 3.000 poetas e críticos de lusofonia!

Edna Menezes 

ednamenezes@hotmail.com

William Bouguereau (French, 1825-1905), Reflexion, detail

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Poesia:


Ensaio, crítica, resenha & comentário: 


Contos:


Alguma notícia da autora:

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Bernini_Bacchanal_A_Faun_Teased_by_Children

 

Da Vinci, Cabeça de mulher, estudo

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Jean Léon Gérôme (French, 1824-1904), Plaza de toros

 

 

Edna Menezes


 

Bio-bibliografia


Edna Pereira Silva de Menezes, Professora de Língua Portuguesa, Literatura e Linguagem Jurídica, graduada em Letras pela UCDB e Mestranda pela UFMS, pesquisadora com artigos publicados em revistas literárias.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Poussin, Venus Presenting  Arms to Aeneas

 

 

 

 

 

Edna Menezes


 

Sublimidade do nada


O homem do saco
andarilho do mundo,
catando latas,
entulhos de sarjetas.
No portão da garagem.
Eu o vejo.
É uma miragem,
perfeição da loucura.
Um detalhe perfeito
um casulo de teias,
talvez de bicho da seda,
se forma entre sua boca
e seu nariz,
no emaranhado dos pelos
ralos do bigode
virgem de navalha.
Suprema soberba.
Me olha do alto
de sua infimidade.
Eterno o seu devir.
Efêmero o meu viver.
 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Delaroche, Hemiciclo da Escola de Belas Artes

 

 

 

 

 

Edna Menezes


 

A busca


A busca da perfeição
Embrenhando em charcos
Tropeçando em fatos
Encontrando o húmus
Sentindo a bruma
Virando raiz
Conhecendo o profundo
Nutrindo a alma
Fortalecendo o espírito
Sofrendo com calma
A frondosa ramagem
Chegando ao chão
Sentindo o úmido
Da chuva,
Da fria passagem
Da vida
A procura constante
Da força que gera
Saber da lição,
Seiva absorvida
Na passagem
Da raiz à ramagem.
 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Poussin, The Triumph of Neptune

 

 

 

 

 

Edna Menezes


 

O sonho e a saudade


Na embriagues da saudade, nada parecido.
Não sairemos do sonho natural.
A embriagues em toda sua duração,
Será apenas,
É verdade,
Um imenso sonho irreal,
Graças à intensidade das cores,
À rapidez da concepção:
Mas guardará sempre a tonalidade particular
Do individuo.
Do homem que quis sonhar.
O sonho governará o ser:
Mas este sonho será o filho de seu pai.
Será o esforço de introduzir
Artificialmente
O sobrenatural em sua vida,
Em seu pensamento.
Mas depois de tudo
Depois das sensações,
O mesmo ser com saudade,
Subjugado,
E para sua infelicidade,
É ele mesmo que se subjuga,
Pela parte já dominante nele mesmo,
Serve a quem o mata o vencedor.
Quis ser anjo,
Quis o amor,
Momentaneamente poderoso,
Sem governo que o modere ou
Explore.
Saibam os ignorantes e os
Intelectuais:
Não encontrarão no amor
Nada de miraculoso
Apenas seus fenômenos comuns, individuais:
O sonho e a saudade.
O ser não escapará à fatalidade
O amor será um espelho que aumenta
Mas para sempre um simples espelho
Que reflete o sonho e a saudade.


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Jean Léon Gérôme (French, 1824-1904)

 

 

 

 

 

Edna Menezes



Resenha do livro

QUATRO EXPOENTES DA LITERATURA SUL-MATO-GROSSENSE
(Visconde de Taunay, Lobivar Mattos, Manoel de Barros, Raquel Naveira)

 

QUATRO EXPOENTES DA LITERATURA SUL-MATO-GROSSENSE, obra que objetiva contribuir para a fortuna crítica da literatura sul-mato-grossense e servir de base em pesquisas para estudantes. Trabalho que busca suscitar questões sobre a obra de quatro escritores de Mato Grosso do Sul, visto que a obra de alguns deles ainda permanece quase desconhecida no meio estudantil. Dentre o vasto rol de escritores, poetas, em especial, que abrilhantam o torrão sul-mato-grossense foram escolhidos, obedecendo a uma seqüência cronológica, como marcos representativos de nossa literatura – Visconde de Taunay, Lobivar Mattos, Manoel de Barros e Raquel Naveira. Houve nessa escolha uma mescla de gêneros - prosa e poesia – e, não obstante a ordem cronológica, a qual indica apenas uma seqüência dos autores no tempo, apresentam-se nesse trabalho, primeiro os representantes do gênero poesia e, finalizando o autor representante do gênero prosa.

O livro foi elaborado de forma acadêmica, buscando reiteradas vezes suporte em consagrados teóricos literários e pesquisadores da cultura da região, revelando assim sua pretensão didático-pedagogica.

 

 

 

 

 

 

22.11.2007