Oswaldino Marques

Lied
 
                                                                                   
Perdido em devaneios no extenso litoral,
Só e tímido sob a ampla e côncava tarde,
Plena do grave coral das vagas estuantes
E do ritmo violento das ávidas gaivotas,
Voltei meus olhos espantados para ti, ó sol,
E me deixei banhar nas tuas cascatas cintilantes.
Lá poderia ter-me envolvido na sombra violácea das montanhas

E à hora do poente cingir-me com uma coroa de estrelas.
Lá poderia ter-me dissipado na bruma da ressaca,
Ou insensivelmente aceitar dos rochedos o doce convite à inconsciência,

Ou fragmentar-me em límpidas conchas e refletir sorrindo teus raios criadores, 
Tive forças, porém, para te abandonar.
Parti sobre a areia deixei apenas o nome de alguém escrito.

                                                       
                                                      

[ ÍNDICE DO AUTOR ][ PÁGINA PRINCIPAL ]
 
 
Página  atualizada  por  Alisson de Castro,  Jornal de Poesia,  12  de  Agosto  de  1998