Renato Kentaro Fujiy

Vida

Penso agora, ha um minuto, nada pensarei, sentirei qual poeta, que experimenta o inferno sem morrer, e a vida, sonha sem viver. E quando nada mais sentir, e for vazio, frio, escuridão, quando for deserto, pensarei em você, morte que transforma a vida, mórbida porém vida. Vida que te ama, vida que te quer, vida consumida, vida por você.


* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *