Haydée Sorensen

Quero Provar os Espelhos
 
quero provar os espelhos 
as faces mortas 
as traças do homicídio 
o peixe do medo 
e o pingo de água 

julinho, todas as noites, uivava para a lua 
e não era um cão, era um menino 

esquilos sobem as escadas do sobrado 
lá mora um homem 

o sol açoita os loucos 
e os canibais sem pupilas 
que povoam meus lençóis 
e eu penso 
que gostaria de mover o braço sobre a mesa 
e dizer qualquer coisa de angélicas e cravos 
e amor 
e outras coisas mais 
não dá 

quero provar os espelhos 
estes que incendeiam minhas noites 
quero provar as minhas mãos 
estas que recolhem os mortos às quartas-feiras 
quero provar o movimento de meus pés 
estes que pisam selvas distantes 

julinho uivava todas as noites para a lua 
e não era um cão era um menino 
já é tarde, já é tarde a lasanha esfria 

 

  Remetente : Cláudio Daniel 
 ÍNDICE | PÁGINA PRINCIPAL