Gilberto Avelino

No Inverno
                  
 
A forte chuva cessara 
E vinha chegando 
o frio 
escondido nos ventos. 

Sobre o silêncio 
das ramas,  
em azul e verde,  
giravam 
os vaga-lumes. 

À beira do açude  
transbordando,  

a feliz e incessante 
cantiga dos sapos 
louvando 
as águas. 

Sob o frio,  
o úmido frio da noite,  

ouviam-se pássaros 
piando 
em sons de arco-íris. 

A casa grande,  
em cor 
de ocre e vermelho,  
com as abertas 
janelas 
ao nascente. 

E do açude cheio 
chegava 
o longo cheiro 
dos águas-pés 
florando. 

Os teus olhos acresciam-se 
de densa ternura; 

e nós 
nos buscávamos 
com a ardência  
do fogo.

                                                                           

[ ÍNDICE DO AUTOR ][ PÁGINA PRINCIPAL ]
 
 
 
 
 Página atualizada  por  Alisson de Castro,  Jornal de Poesia,  31  de Março de 1998