Bruna Lombardi 

Por Que Não ?
                  
 
eu olhei e pensei por que não  
dezesseis anos mais velho, seguro  
homem de opinião e nenhum caráter  
o velho truque do maduro  
um ator na vida, e eu pensei por que não  
vai ver é um menino com medo  
vai ver se atrapalha  
não, acho que não 
deve ser um pouco canalha como todos são 

um cruzar de pernas, um olhar grave  
não sei direito o que se faz pra ser querida  
uma posição mais provocante  
uma atitude mais desinibida  
logo eu que morro de vergonha  
de tentar ser um pouco atrevida  
logo eu 
que o que cometo em sonhos  
seria incapaz de cometer na vida 

mas pensei por que não o estímulo de uma aventura  
o prazer de ceder à tentação  
é tão raro acontecer esse desejo, dura  
tão pouco isso 
a novidade 
e depois não tem o compromisso da paixão 

come e depois espalha pra cidade  
aquela coisa machista insuportável  
estilo gosta de levar vantagem  
chega de pensar bobagem  
não é possível que ele seja assim  
ele é sensível, inteligente, um homem que chora 
só falta agora um sopro de coragem, uma insinuação 

e se ele for um sujeito compulsivo  
maníaco depressivo, do tipo que atormenta  
astral anos sessenta  
e eu me arrepender profundamente  
o ruim do porre é a ressaca  
se for um cara babaca desses dose pra analista  
se ainda for comunista do antigo pecezão  
não, claro que não  
ele é brilhante, contemporâneo, atuante  
ativo da linha de frente  
e eu molhei os lábios sensualmente  
e pensei por que não?

 

[ ÍNDICE DO AUTOR ][ PÁGINA PRINCIPAL ]
 
 
 
Página  atualizada  por  Alisson de Castro,  Jornal de Poesia,  12  de janeiro de 1998