.
.
.

revista de cultura # 58
fortaleza, são paulo - julho/agosto de 2007

editorial

A poesia sempre a poesia

Esta é uma edição em que essencialmente está presente a poesia, através dos poetas, dos poemas e do olhar poético sobre obras plásticas e algumas ambientações estéticas vitais para nosso tempo. Considerando que os editores de Agulha são antes de tudo poetas, manifestam-se através de seus próprios versos na condição aqui de editorial. Também sugerem aos seus leitores que visitem esta página na Banda Hispânica: www.revista.agulha.nom.br/bhorgonzalez.htm, uma maneira de afirmar nosso carinho por Otto Raúl González (1921-2007), querido poeta guatemalteco falecido no mês passado. Em entrevista que lhe fez Lina Zerón, disse a ela que os poetas vivem muito bem porque sonham muito, porque são grandes sonhadores. René Char dizia que a poesia se incorpora ao tempo e o absorve. Evidente que é neste sentido que cabe referir-se ao sonho dos poetas. Quando um dos editores da Agulha esteve no México em 2003 para uma leitura de poemas, foi uma grata surpresa a presença na platéia do poeta Otto Raúl González, que havia entrevistado por carta um ano antes e ali estava para conhecer seu entrevistador brasileiro. É sempre estimulante, embora lastimavelmente raro, quando poetas se encontram para conversar em torno de seus projetos e reflexões, quando sabem escutar o outro, dando assim uma dimensão mais potente a este sonho da poesia.

 

Quando se está possuído pela tensão romântica

toda viagem é para o Oriente

o trem de Zurich a Viena, ao entrar no túnel alpino

a chegada entre altas ondas ao porto belga, Ostende pela primeira vez

parecendo familiar por ser o mesmo o vento, a mesma a tonalidade marítima

de que não me lembrava

ou a descida da Serra Gaúcha

até a ponte no fundo do verde

– vertigens reconhecidas

quando todas as palavras servem

para dizer o indizível

quebrar a pedra

permitir que jorre a fonte

(quando se está possuído pela tensão romântica)

 

Claudio Willer
[“Anotações de viagem”, em Estranhas experiências, 2004]

 

A cidade se mistura por dentro de todos os seus vestígios. É noite e somos seus fogos tentaculares. Não há salvação na calmaria, ouve-se ao longe. Ora, não há salvação em parte alguma. Nem faz sentido esperar a tempestade passar para sentir-se salvo. Este sentimento não passa de um estratagema para nos manter apegado à vida. É como embarcar esperançoso em um último trem para Lost Paradise, onde quer que esteja tal destino. Aos poucos fomos nos expulsando de nós mesmos, varrendo o que nos resta, cinzas para um desterro da memória. Freqüentamos estranhas cidades: o emprego, o sexo, a mecânica social em suas latitudes desconexas. É preciso um grito de sofrimento para renovar as trevas.

Floriano Martins
[“Autobiografia de um truque”, em Teatro Imposible, 2007]

 

Os editores

sumário

1 agostinho da silva: a propósito de algumas recordações em letra. nicolau saião
2 belleza, sí, pero,
¿qué es eso? jorge ariel madrazo
3
cristiane grando o el fluxos del espíritu poético. ángel ortega

4 dora ferreira da silva: caminhos em direção ao sagrado. constança marcondes cesar
5
- es +, o viceversa: gustavo vega, artista, filósofo y teórico de la poesía visual [entrevista]. carlota caulfield
6
friedrich hölderlin ou a reconciliação dos contrários. luís costa
7
la imaginación del instante: signos de josé luis cuevas. miguel ángel muñoz
8
la mirada evasiva y el acerbo amor. rafael hernández rodríguez
9
lámparas com párpados. re-visitar las revistas de poesía en medellín. luis fernando cuartas 
10
 nelson magalhães filho e a arte transgressora. wesley barbosa correia
11 notícias da bósnia herzegovina: edin numankadic. allan graubard
12
o fim dos comilões - para um novo paradigma cultural. r.-l. etienne barnett
13
o peso das palavras. radovan ivsic
14
poesía cotidiana y vida extraordinaria: umberto saba (1883-1957). rodolfo alonso
15
uma leitura da poesia de gérard calandre. ruy ventura

artista convidado siegbert franklin [pintura texto de ruy sampaio]
resenhas livros da agulha beth braitt alvim carlos felipe moisés eduardo mosches rubén mejía sérgio de castro pinto
música
discos da agulha andré juarez hamilton de holanda paul mccartney [por mário montaut] paula toller [por eduardo guimarães] renato anesi
poesia
banda hispânica
cumplicidade 1 galeria de revistas  
cumplicidade 2
galeria de manifestos  
cumplicidade 3
galeria de arte

expediente

editores
floriano martins & claudio willer

projeto gráfico & logomarca
floriano martins

jornalista responsável
soares feitosa
jornalista - drt/ce, reg nº 364, 15.05.1964

correspondentes
todos os colaboradores [a seu tempo]

artista plástico convidado (pintura)
siegbert franklin

apoio cultural
jornal de poesia

traduções
éclair antonio almeida filho [inglês, francês
ð português]
marta spagnuolo [português ð espanhol]
floriano martins [espanhol
ð português]

banco de imagens
acervo edições resto do mundo

os artigos assinados não refletem necessariamente o pensamento da revista
agulha não se responsabiliza pela devolução de material não solicitado
todos os direitos reservados © edições resto do mundo

escreva para a agulha
floriano martins (florianomartins@rapix.com.br)
Caixa Postal 52874 - Ag. Aldeota
Fortaleza CE 60150-970 Brasil
claudio willer (cjwiller@uol.com.br)
Rua Peixoto Gomide 326/124
São Paulo SP 01409-000 Brasil

ÍNDICE GERAL RETORNO PORTAL BANDA HISPÂNICA JORNAL DE POESIA

.

procurar textos