Antonio Ferreira dos Santos Júnior



Vislumbres

1 A pedra está ausente Mas fixa Meu eterno pensamento. 2 O jacarandá floresce Roxas O vento leva --- as flores. 3 Abro os olhos Na noite É lua cheia --- sonho. 4 No canto a aranha Tece Uma cadeia de silêncio. 5 A palavra lançada No silêncio O eco responde: Nada. 6 Ainda existe o sol Outono O frio espreita na colina. 7 No centro da mata Pássaros voam Nuvens por entre as folhas. 8 Flor --- contínua ternura Dói Ela murchar no vaso. 9 O pássaro de asas molhadas Na noite Espera a alvorada. 10 Chove miúdo e calmo No distante A noite floresce. 11 Rápido na estrada O lagarto Torna verde o caminho. 12 Deitadas sob a terra Raízes Sonham folhas e flores. 13 É lua cheia Em teu corpo Meu pássaro pousa para sempre. 14 O vôo do pássaro Silencia A dor da despedida. 15 Ponha asas Em teu corpo A montanha é no longe. 16 Faz sol sobre o campo A chuva Molhou meus cabelos. 17 Viro mais uma folha Do livro E o segredo continua. 18 Falei contigo tantas palavras E mais Palavras. Que restou? 19 Caminha --- tua sina Andar Até curvar e silenciar. 20 Não vôo mais É tarde O repouso é necessário. 21 Sem dor --- é a despedida Adeus Flores roxas e amarelas. 22 Este é o abraço Final O único que importa. 23 Jogo a pedra pro alto Silêncio Círculos se formam no lago. 24 Veloz a garça Se esgarça Escuro seu tempo. 25 Solto o lápis da mão No chão Palavras caladas. 26 Brancos cabelos Outono Antiga primavera na cabeça. 27 O selo não veda O livro Dentro -- o Infinito. 28 Há arco - íris No céu O resto é silêncio. 29 O touro pára A capa É vermelha e a espada. 30 Não penso nada Na brisa Um aroma de passado.


* * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *